Dinâmica de aula com FRASEADOR

 

 LETRAMENTO DIGITAL – manual do coordenador

 

O Projeto Letramento Digital foi desenhado pela Germinal Consultoria, em parceria com Senac/Rio, para população excluída digitalmente e com dificuldades de leitura e escrita. Assim, as situações de aprendizagem trabalham ao mesmo tempo a inclusão digital e a superação das dificuldades de leitura e escrita.

 

 

DESENVOLVIMENTO DA QUARTA SESSÃO DE APRENDIZAGEM DA ETAPA AGIR

Cena 1: Papo com café

Coordenador: Olá, entre. Que bom que você veio. Vamos tomar um café? Ou prefere chá? Se quiser água, tem copos aqui. E aí, animado para mais um dia? A página de entrevista feita ontem saiu muito boa, você não achou? Aqui está o trabalho feito por você. Fiz algumas marcas para mostrar onde o texto pode ser melhorado. Não precisa fazer isso agora, deixe para a próxima semana, quando vamos iniciar a edição final da revista.

Falando com o grupo…

Coordenador: Acho que vocês vão gostar do trabalho de hoje também. Vai ser sobre a história de cada um. Vai ser sobre a história de como vocês aprenderam o que sabem melhor fazer. Cada um tem uma história diferente, não é? Se for contar tudo precisa um livro. Revista é pouco. Não chega! Podem ligar os computadores e entrar no Word.

Na hora prevista, estando todas as máquinas ligadas…

Cena 2: Leitura de Memória

Coordenador: Minimizem o Word. Na tela, no lado direito bem em cima, tem um ícone que é um tracinho. Clicando aí, o programa já minimiza ficando disponível abaixo da tela. (pausa). Que bobagem… Vocês já sabem disso. É que professor não perde a mania de ensinar. Mas, vamos lá! Entrem no LIVRO DE LEITURA. Abram o LIVRO DE LEITURA no capítulo Agir, na página onde está o texto Fraseador (escreve). Todos encontraram o texto? Este é um texto de memórias: o autor está falando dele, recordando sobre a própria vida, sobre sua infância. São lembranças de infância. Eu vou ler o texto. Como ontem, preciso da ajuda de um voluntário para ler a fala do irmão do autor que está contando as lembranças. A parte do texto que cabe ao irmão está escrito em verde. Quem gostaria de ler a fala do irmão do Manoel de Barros, autor do texto? Fulano? Ótimo! A cada sessão os voluntários aparecem mais rapidamente. Isso é muito bom. Preparados? Acompanhem a leitura no texto.

Lê pausadamente o texto com entonação nostálgica, com a participação do voluntário.

 

 

Fraseador

 

Hoje eu completei oitenta e cinco anos. O poeta nasceu de treze. Naquela ocasião escrevi uma carta aos meus pais, que moravam na fazenda, contando que eu já decidira o que queria ser no meu futuro. Que eu não queria ser doutor. Nem doutor de curar nem doutor de fazer casa nem doutor de medir terras. Que eu queria era ser fraseador. Meu pai ficou meio vago depois de ler a carta. Minha mãe inclinou a cabeça. Eu queria ser fraseador e não doutor. Então, o meu irmão mais velho perguntou: Mas esse tal de fraseador bota mantimento em casa? Eu não queria ser doutor, eu só queria ser fraseador. Meu irmão insistiu: Mas se fraseador não bota mantimento em casa, nós temos que botar uma enxada na mão desse menino pra ele deixar de variar. A mãe baixou a cabeça um pouco mais. O pai continuou meio vago. Mas não botou enxada.[1]

 

 

Coordenador: Obrigado Fulano, você esteve ótimo. O que vocês acharam do texto? O que entenderam?

Participantes: Fazem comentários a respeito da compreensão que tiveram da leitura, estimulados pelo coordenador.

 

Cena 3: Preparando o solo da memória

Coordenador: Abram o Word. Hoje vamos preparar uma página especial para vocês escreverem uma memória. Mas antes precisam salvar o novo arquivo. Salvem na pasta Revista, com o nome de memória (escreve). Como vimos, o poeta Manoel de Barros escreveu aquele texto de memória da infância contando sobre o momento em que, aos treze anos, decidiu ser “fraseador”. Fraseador é aquele que faz frases, que escreve e não é doutor. Cada um de vocês vai, também, escrever um texto falando de si mesmo, de suas memórias, de quando decidiu e/ou começou a fazer o que hoje sabe fazer. Que acham?

Participantes: Comentam e discutem a proposta.

Coordenador: Antes de escrever, porém, vocês vão enfrentar o nosso primeiro desafio: preparar a página do Word onde vocês vão escrever suas memórias. Minimizem o LIVRO DE LEITURA e voltem ao arquivo MEMÓRIA do Word. (pausa) Antes de começar, vocês vão preparar a página para escrever. O primeiro passo é Configurar página (escreve), mudando os valores para a margem direita, esquerda, superior e inferior. Vou mostrar sobre o que estou falando (desenha o mesmo esquema que pode ser encontrado no comando Configurar página do Word. Aumenta as margens, em seguida). Vejam, se eu quero escrever um texto pequeno, posso configurar minha página com margens maiores para o texto ficar posicionado bem no centro da folha. Entenderam? Podem então configurar suas páginas.

Participantes: Fazem a configuração de página da folha onde vão trabalhar.

Acompanha os trabalhos à distância. Quando verificar que a maioria fez a configuração…

Coordenador: Todos estão com sua página configurada? Muito bem. Então vamos para o segundo passo: Formatar Fonte. Escolham o tipo e tamanho da letra que vocês querem usar. A página que estão preparando será a seção de memórias da revista. Que cor tem a memória? Que jeitão a memória têm? Escolham letras e cores que representem a memória. Depois escrevam o título: Memória do Saber (escreve).

Participantes: Fazem a formatação da fonte e escrevem o título da coluna.

Coordenador: Todos já formataram a letra? Vamos para o terceiro passo: Formatar parágrafo. Eu quero que vocês deixem o título que escreveram bem no centro da linha. Alinhem o título no centro da linha.

Participantes: Fazem a formatação do alinhamento.

 

Cena 4: Fraseando a memória

Coordenador: Vocês vão escrever a Memória do Saber, a partir do texto Fraseador (escreve). Abram o LIVRO DE LEITURA e copiem todo o texto que está abaixo do título Fraseador. Colem esse texto abaixo do titulo Memória do Saber. 

Pausa…

Coordenador: Nós vamos aproveitar o começo desse texto do Manoel de Barros. São as frases que estão escritas em negrito. Negrito é quando a letra fica assim mais escura. As frases dizem (escreve):

“Hoje eu completei oitenta e cinco anos. O poeta nasceu de treze. Naquela ocasião..”.

Pausa…

Coordenador: Esse será também o início das memórias de cada um de vocês. Mas, é preciso corrigir o que não vale para vocês. Qual é a primeira coisa que não vale para ninguém aqui? (ouve) Exatamente! Ninguém aqui tem oitenta e cinco anos. Então, é preciso colocar a idade de cada um onde está escrita a idade do poeta: oitenta e cinco anos.

Participantes: Apagam a expressão oitenta e cinco anos e escrevem a própria idade, por extenso.

Coordenador: Vamos voltar ao texto copiado. Qual outra coisa que não vale para vocês? (pausa) Exatamente! É a ocupação. Vocês estão contando coisas de vocês. São as lembranças de cada um. O que escrever no lugar da palavra poeta? Por exemplo, Fulano vai escrever “cantor de Rap” porque é essa atividade que ele sabe fazer melhor. Sobre isso é que está escrevendo na revista. Cada um escreve no lugar da palavra poeta o seu saber fazer. No lugar dos treze anos escreve a idade em que começou saber ou decidiu saber o que sabe. Para Fulano, a frase será alguma coisa assim: O cantor de Rap nasceu aos cinco anos.

Acompanha o desenvolvimento dos trabalhos e dá ajudas discretas aos que estão com dificuldades

Coordenador: Vou pedir a cada um que leia o que escreveu nesse pedaço de texto.

Participantes: Um a um, lêem o que escreveram.

Coordenador: Está ficando bonito. Vejam que o início da próxima frase dá continuidade á história: “Naquela ocasião…” (escreve a frase incompleta). Aí, o poeta continua o texto e a sua história. A partir desse mesmo início (mostra), quero que vocês continuem com a história de cada um de vocês. Podem aproveitar ou não pedaços do texto do Manoel de Barros. Cada um pode completar como quiser, com quantas frases e palavras quiser. O importante é contar lembranças desse tempo. Uma pessoa pode escrever muito ou pouco. Isso não importa. Concentrem-se. Escrevam as suas memórias.

Participantes: Completam o texto.

O coordenador acompanha à distância a realização dos trabalhos. Fica atento para impedir que algum participante “trave” e desista da tarefa. Em último caso ajuda discretamente, fazendo perguntas e assessorando diretamente a escrita. Quando perceber que todos já estão concluindo…

Coordenador: Todos terminaram de escrever? Conseguiram escrever as suas memórias? Gostaram de se lembrar e de escrever?

Participantes: Comentam como se sentiram em relação ao trabalho.

Coordenador: Vocês conseguiram dar um passo muito importante. Conseguirão ainda mais. Estão todos de parabéns.

 

Cena 5: Difundindo a memória

Coordenador: Vamos agora melhorar o texto que fizemos. Abram a janela das Ferramentas (escreve) e cliquem em Ortografia e gramática (escreve). O Word vai marcar com um traçado vermelho a palavra que ele acha que está escrita incorretamente. Ele também apresenta várias sugestões para vocês mudarem a escrita. Vocês decidem se aceitam ou não a sugestão de mudança. Todos entenderam? (se necessário, esclarece) Podem fazer a correção!

Participantes: Fazem a correção do texto através do corretor ortográfico.

Coordenador: Terminaram? Muito bem. Gostaria que todos fechassem por um momento esse arquivo, salvando-o antes. (pausa) Todos fecharam salvando as alterações? Atenção, muito cuidado na hora de fechar os trabalhos para não perdê-los. Quero que vocês enviem para mim as memórias que acabaram de fazer. Vão enviá-las através do MENSAGEIRO.

Participantes: Orientados pelo coordenador, entram no MENSAGEIRO. Criam um novo e.mail. Acionam o comando Inserir / Arquivo. Inserem o arquivo Revistamemória. Encaminham a mensagem para o coordenador.

Coordenador: Todos encaminharam seus arquivos? Não falta ninguém? Muito bom. Podem fechar o MENSAGEIRO e maximizar o Word para voltar ao trabalho com as memórias.

 

Cena 6:  A bela memória

Coordenador: Vamos agora embelezar a página de memórias para a revista que vocês estão fazendo. É um trabalho livre. Enfeitem a página como quiserem. Podem utilizar figuras de vários tipos disponíveis em Minhas Imagens, utilizando o comando Inserir / Figura. Queria lembrar que qualquer operação feita e indesejada pode ser desfeita no Editar / Desfazer Digitação (escreve). Então não se assustem se aparentemente estragarem o trabalho. Ele poderá ser reconstruído desfazendo o que o destruiu. Todos entenderam?

Participantes: Tornam suas páginas de memórias mais bonitas.

20  minutos antes do fim do tempo previsto…

Coordenador: Vamos terminando que o tempo está no fim. Todos concluíram sua página de memórias? Quem não concluiu, deixe-a como está. Teremos tempo de voltar a ela. Salvem a página. Salvem também no disquete. Imprimam uma cópia.

Participantes: Imprimem a página e colam-na no mesmo espaço usado na sessão anterior.

Coordenador: Qual é a página mais bonita? Qual o texto mais bem escrito? Fulano, qual foi a sua escolha? E a sua escolha, Beltrano?  Parabéns a todos vocês. As páginas estão todas lindas, bem escritas e todos trabalharam muito bem.

 

Cena 7: Avaliando o dia

Coordenador: O nosso tempo está terminando. Tivemos um dia muito rico. Antes de saírem, gostaria que cada um mandasse uma mensagem para mim pelo MENSAGEIRO, contando uma coisa que aprendeu hoje e que nunca mais vai esquecer.

Participantes: Escrevem e encaminham a mensagem.

Coordenador: Amanhã vamos ter um dia especial. Mais livre, muito criativo e mais interessante do que nunca. Além de navegar na Internet, vocês vão criar anúncios de publicidade. Não deixem de comparecer na Sexta-feira.  A sessão de aprendizagem vai ser dez.

  

Para o Coordenador

As páginas contendo as memórias devem ser recolhidas e corrigidas (gramatical e ortograficamente). Na correção, apenas sublinhar o erro, sem indicar a forma correta (do ponto de vista da norma culta). Depois de corrigidas as páginas devem ser devolvidas aos participantes na sessão seguinte.

 

 

 

 

 

 

 


[1] Memórias inventadas: a Infância / Manoel Barros. São Paulo: Planeta, 2003.

Publicado on fevereiro 4, 2009 at 10:23 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://natrodrigo.wordpress.com/fraseador-no-letramento-digital/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: