TEMPO REI

 

P. Cézanne, Rochedos em LEstaque

P. Cézanne, Rochedos em L'Estaque

 As idéias de transformação, mudança, renovação suscitadas pela letra da música Tempo Rei, de Gilberto Gil, são fonte de inspiração para um exercício de criatividade no programa Letramento Digital, destinado à inclusão digital de jovens e adultos com dificuldades de leitura e escrita. A utilização da canção popular é uma constante neste programa, que procura, permanentemente em seu processo, a  mobilização individual para a leitura e escrita, com utilização do computador.

Ao final desta página, há um link disponível para abrir a descrição da situação de aprendizagem que tem esta canção como recurso instrucional.

Tempo Rei

(Gilberto Gil)

Não me iludo
Tudo permanecerá
Do jeito que tem sido
Transcorrendo
Transformando
Tempo e espaço navegando
Todos os sentidos…

Pães de Açúcar
Corcovados
Fustigados pela chuva
E pelo eterno vento…

Água mole
Pedra dura
Tanto bate
Que não restará
Nem pensamento…

Tempo Rei!
Oh Tempo Rei!
Oh Tempo Rei!
Transformai
As velhas formas do viver
Ensinai-me
Oh Pai!
O que eu, ainda não sei
Mãe Senhora do Perpétuo
Socorrei!…

Pensamento!
Mesmo o fundamento
Singular do ser humano
De um momento, para o outro
Poderá não mais fundar
Nem gregos, nem baianos…

Mães zelosas
Pais corujas
Vejam como as águas
De repente ficam sujas…

Não se iludam
Não me iludo
Tudo agora mesmo
Pode estar por um segundo…

Tempo Rei!
Oh Tempo Rei!
Oh Tempo Rei!
Transformai
As velhas formas do viver
Ensinai-me
Oh Pai!
O que eu, ainda não sei
Mãe Senhora do Perpétuo
Socorrei!…(2x)

Á música pode ser ouvida no vídeo a seguir:

Para visualizar a sessão de aprendizagem, da etapa Criar, do projeto Letramento Digital, criado pela  Germinal Consultoria  em parceria com o Senac/Rio, clique aqui.

Anúncios

NO MEIO DO CAMINHO

 

Aldeia -Portugal

Aldeia -Portugal

O poema de Drummond, embora famoso, costuma despertar algum estranhamento ou desconforto. Bom para uma pausa, chamar a atenção, introduzir uma análise das dificuldades encontradas no fazer. Assim foi usado no projeto Letramento Digital, destinado à inserção digital de pessoas com dificuldades de leitura e escrita.

 

No meio do caminho tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho

Tinha uma pedra

No meio do caminho tinha uma pedra.

 

Nunca me esquecerei desse acontecimento

Na vida de minhas retinas tão fatigadas.

Nunca me esquecerei que no meio do caminho

Tinha uma pedra

Tinha uma pedra no meio do caminho

No meio do caminho tinha uma pedra

 

 

Poesia Completa / Carlos Drummond de Andrade. – 1ª ed. -Rio de Janeiro: Editora Nova Aguilar S.A., 2002

 Clique aqui para entrar na página No Meio do Caminho do Letramento Digital e conhecer, em detalhes, a sessão de aprendizagem que utiliza o poema. Trata-se de um excerto do manual do docente do Projeto Letramento Digital, elaborado pela Germinal Consultoria em parceria com o SENAC/Rio.

ELOGIO DO APRENDIZADO

 

APUS PERU Adventure Travel Specialists

O poema Elogio do Aprendizado, de B. Brecht, fala do valor e do sentido da aprendizagem na superação das dificuldades e no assumir o comando de nossas próprias vidas. E o faz com  profunda emoção, que ajuda a mobilizar e envolver integrantes de um grupo de aprendizagem em desafios individuais ou coletivos.
 
O poema tem sido utilizado em inúmeras situações de aprendizagem diferentes. Na maioria das vezes, solicita-se que os participantes (alunos, treinandos) , após a devida preparação, leiam o poema  e comentem o texto. Assim usado, serve de introdução ou conclusão de um processo de aprendizagem que projeta seus resultados para além da situação existencial imediata do aprendiz. 

 

 

ELOGIO DO APRENDIZADO

                                                

Aprenda o mais simples!

Para aqueles

Cuja hora chegou

Nunca é tarde demais!

Aprenda o ABC; não basta, mas

Aprenda! Não desanime!

Comece! É preciso saber tudo!

Você tem que assumir o comando!

 

 

Aprenda, homem no asilo!

Aprenda, homem na prisão!

Aprenda, mulher na cozinha!

Aprenda, ancião!

Você tem que assumir o comando!

Frequente a escola, você que não tem casa!

Adquira conhecimento, você que sente frio!

Você que tem fome, agarre o livro:é uma arma.

Você tem que assumir o comando.

 

 

Não se envergonhe de perguntar, camarada!

Não se deixe convencer

Veja com seus olhos!

O que não sabe por conta própria

Não sabe.

Verifique a conta

É você que vai pagar.

Ponha o dedo sobre cada ítem

Pergunte: O que é isso?

Você tem que assumir o comando.

 

 
Bertolt Brechet, Elogio do Aprendizado, in Poemas 1913 – 1956, São Paulo, Brasiliense, 1986, p. 121.
 

Clique aqui para abrir a página Atividade com Elogio do Aprendizado, do Projeto Letramento Digital, etapa Nutrir e Compartilhar, Sessão de Aprendizagem 1/5, Cena 3. Este programa foi elaborado pela Germinal Consultoria, em parceria com o Senac/ Rio.